Existem diversos tipos de vidros e espelhos, o que pode confundir na hora da escolha. Vidro comum, vidro fumê ou vidro bronze?
Entenda o funcionamento de cada um e acerte na decoração!

São diversos os tipos de vidro. Eles estão em todos os lugares, desde a tela do aparelho em que você está lendo este artigo, até em letras de músicas. Muitas pessoas se perguntam “Há tantas opções que não sei qual utilizar: vidro fumê, vidro comum, vidro verde, vidro bronze…?” Afinal, o que há de tão interessante neste utensílio e quais as diferenças entre eles para além das cores?

1- Os diferentes tipos de vidro: pontos positivos e negativos de cada um

Em primeiro lugar, quais são as principais peculiaridades de cada vidro?

Como já explicamos neste post, o vidro é uma mistura de vários materiais, e os diferentes tipos de vidros surgem da adição ou substituição de um dos compostos na produção, que dão a cor característica de cada um. Da mesma forma, cada cor possui maior ou menor absorção de luz e calor, o que influencia na função específica de cada peça, como veremos a seguir:

1.1 Vidro fumê

O vidro fumê apresenta uma coloração escura, voltada para os tons de preto. Ele é ótimo para diminuir a luz excessiva, e se adapta muito bem a diversos níveis de iluminação. Nos ambientes muito iluminados, sua tonalidade fica mais escura. Já quando há pouco brilho acaba ficando mais transparente, sendo possível enxergar através dele independente da situação. Como funciona através da absorção da luz, é menos refletivo.

Por outro lado, a funcionalidade de absorver a luz pode ser negativa. Isso porque retém mais calor do que os outros tipos – ou seja, pode esquentar demais. Sendo assim, é mais indicado para ambientes internos.

É muito utilizado em carros, e a instalação é feita através de uma película que é aplicada sobre o vidro original. Desta forma, impede que pessoas que estejam do lado externo consigam ver o que há dentro do carro. Isso ocorre por conta da diferença de claridade entre o interior e o exterior do veículo. Por isso, muitas pessoas optam pelo fumê, garantindo uma maior segurança e privacidade ao motorista e passageiros.

1.2 Vidro Bronze

Do mesmo modo que o fumê puxa para tons de preto, o vidro bronze tende para tons marrons. Por conta disso é uma opção que combina bem e m ambientes onde haja muitos tons amadeirados, terrosos, negros e objetos de madeira, ou onde a decoração seja inspirada em estilos rústicos.

Este tom ganhou destaque de uns anos pra cá, sendo o mais procurado atualmente. Isto ocorre após um longo período em que o fumê estava em alta. Por ser um tom mais suave, não contrasta tanto com o ambiente, e por esta razão cai bem em diversos projetos de interiores. Garante um aspecto muito requintado aos espaços, por ter um aspecto levemente espelhado. Utilize-o na decoração de interiores (em closets, armários, peças de decoração, portas, box de banheiro, etc) ou mesmo em fachadas de estabelecimentos e sacadas.

Entretanto, o mesmo espelhado suave que o destaca pode se tornar um problema. Por isso, aconselha-se que seja instalado em um ambiente com menor iluminação e/ou onde não haja permanência de pessoas por longos períodos. 

1.3 Outras tonalidades

Uma cor de vidro muito popular é a esverdeada. Ela absorve menos calor, permitindo que o ambiente fique mais arejado. Portanto, emprega-se este tipo principalmente em box de banheiros, sacadas, além de fachadas de estabelecimentos. São vidros com esta característica presentes em aquários mais resistentes. Sua cor adequa-se muito bem a ambientes claros, ao mármore branco e gesso. 

Já o vidro comum, ou transparente, não retém nenhuma parte do espectro de luz. Sendo assim, permite que o ambiente seja completamente iluminado pela luz externa.

Em contrapartida esta versão é um tanto quanto mais simples. Por este motivo não causa tanto destaque ao ambiente. (Contudo não há como negar sua funcionalidade). Tanto este tipo quanto o esverdeado condizem muito bem ao serem usados na construção de claraboias.

2- As cores em espelhos

É popular a capacidade que os espelhos possuem de ampliar os recintos. Mas quando estão nas tonalidades mais escuras, também trazem maior luxo para a decoração. Além do mais, criam diversos efeitos de contraste, ficando perfeitos em molduras mais escuras ou douradas.

Entretanto recomenda-se parcimônia no uso destes objetos nas tonalidades fumê e bronze em ambientes de muita luz ou permanência prolongada. Isso porque seu coeficiente de reflexão é muito maior, do que o espelho prata. 

Todavia, convenhamos que o poder de refletir a luz com mais força é excelente quando pensamos na otimização de objetos decorativos.

Dessa forma, saiba que exceto nestes casos especiais, espelhos acobreados e escuros podem ser usados em móveis diversos.

Vamos a algumas inspirações!

Por fim...

Vimos neste post que existem diversos tipos de vidros e espelhos, em várias cores que permitem opções de uso peculiares a cada um. 

Vidros fumês: recomendados para lugares internos ou externos, principalmente quando a intenção é controle de luz, privacidade e segurança.

Já os vidros bronze: Tendência no mundo do design de interiores, esta peça é usada principalmente em ambientes com paleta de cores escuras, terrosas. Traz sofisticação e possui um leve espelhado natural.

E vidros verdes: Populares e práticos, trazem mais cor para o ambiente, harmonizando bem com tons claros – principalmente o branco. Utilizados para arejar os ambientes.

Espelhos fumê e bronze: Independente do objetivo, estes artefatos de decoração serão mostram-se como ótimas escolhas no mercado. Seja bisotado ou lapidado (entenda a diferença com este post ), espelhos vão além da ilusão de maior amplitude nos espaços.

E não se esqueça, é muito importante que a instalação de vidros e espelhos seja feita por uma empresa de responsabilidade.

Entre em contato com a SHOWGLASS VIDROS, ESPELHOS E MOLDURAS, e faça um orçamento!

 

Até a próxima!

Compartilhe essa pagina.